Acompanhamento do Parto (Doula)



Acompanhar o parto também é papel do fisioterapeuta, que utiliza técnicas específicas para diminuir a dor no trabalho de parto, apoiar emocionalmente e orientar quando utilizar as posições de alívio, treinadas anteriormente.


Antes do parto

Fortalecimento de membros inferiores
·         A fisioterapeuta especialista irá se familiarizar com as expectativas de parto da paciente/cliente, incluindo suas preferências em relação ao uso de medicações de alívio da dor, e como ela e o parceiro planejam trabalhar juntos. Ela informará ao casal quais são suas opções no manejo da dor e da fadiga, ajudando-o a preparar o melhor plano de parto possível.
Treinamento durante a gravidez
·         A paciente/cliente deverá informar a fisioterapeuta sobre resultados de exames e sinais de início de trabalho de parto.
Treinamento durante a gravidez

·         A fisioterapeuta especialista deve informar à paciente/cliente quando estará disponível para atendê-la no trabalho de parto e expor sua disponibilidade de tempo de acordo com a data provável do parto.

Primeiro filho também de parto normal acompanhava o treinamento
 
Durante o parto

Inicio das contrações ainda bem fraquinhas
   A paciente/cliente deve entrar em contato com a fisioterapeuta especialista quando achar que iniciou o trabalho de parto, mesmo acreditando que ainda não necessite. A fisioterapeuta poderá responder a perguntas e dar sugestões por telefone, e decidirá se deve encontrar com a paciente/cliente imediatamente ou aguardar os acontecimentos.
Descanso entre as contrações

·         Em geral a fisioterapeuta especialista necessita de aproximadamente de uma hora para chegar ao encontro da paciente/cliente, a partir do momento que ela solicitar. Ambas decidirão qual o melhor local para se encontrarem – na casa da paciente/cliente, no hospital ou na casa de parto.

Trabalho de parto propriamente dito, uso da respiração para diminuir a dor da contração
        A fisioterapeuta especialista permanecerá com a paciente/cliente desde a hora que for solicitada, no trabalho de parto, durante o parto e no pós parto imediato (1hora após o parto), procurando assegurar uma experiência segura e satisfatória.
O agachamento relaxa a musculatura do períneo e facilita a descida do bebê

Apoio durante as contrações e a concentração da gestante são fundamentais para um parto tranquilo

  
 A fisioterapeuta especialista utilizará seus conhecimentos e sua experiência para oferecer à paciente/cliente apoio emocional e físico. Ela pode fazer sugestões quanto à progressão do trabalho de parto, auxiliar com relaxamento, massagens, posições facilitadoras e condutas fisioterapêuticas.
Digitopressão para aliviar a dor e relaxar a gestante durante o toque

·         Quando necessário ou apropriado, a fisioterapeuta especialista se comunicará com a equipe de assistência ao parto (principalmente obstetra e neonatologista) para assegurar que a paciente/cliente receba a informação de que necessita para fazer as escolhas na hora do parto.

Após o parto

Pós parto imediato, esperando retirada da placenta
Mais feliz impossível, esperando o banho da bebê

1 hora pós parto normal, se alimentando normalmente e feliz ao lado da família

·             Normalmente, a fisioterapeuta especialista permanece com a cliente por uma hora ou duas horas após o parto, acompanha a saída da placenta e os primeiros cuidados com o bebê, até que a paciente/cliente se sinta confortável e sua família esteja preparada para ficar com a paciente/ cliente.

1 hora pós parto normal, amamentando normalmente
      A fisioterapeuta especialista entrará em contato telefônico com a paciente/cliente para responder a dúvidas, verificar seu bem-estar e do bebê, avaliar seu trabalho de parto, e, quando possível e desejado de ambas as partes, agendar uma visita em momento oportuno.

Pós parto imediato, feliz com a conquista

Obs.: Todas as pacientes permitiram a divulgação dessas fotos.

Doula? O que é isso?

A palavra "doula" vem do grego "mulher que serve". Nos dias de hoje, aplica-se às mulheres que dão suporte físico e emocional a outras mulheres antes, durante e após o parto.

O que a doula faz?

Antes do parto a ela orienta o casal sobre o que esperar do parto e pós-parto. Explica os procedimentos comuns e ajuda a mulher a se preparar, física e emocionalmente para o parto, das mais variadas formas.

Durante o parto a doula funciona como uma interface entre a equipe de atendimento e o casal. Ela explica os complicados termos médicos e os procedimentos hospitalares e atenua a eventual frieza da equipe de atendimento num dos momentos mais vulneráveis de sua vida. Ela ajuda a parturiente a encontrar posições mais confortáveis para o trabalho de parto e parto, mostra formas eficientes de respiração e propõe medidas naturais que podem aliviar as dores, como banhos, massagens, relaxamento, etc..

A doula e o pai ou acompanhante

A doula não substitui o pai (ou o acompanhante escolhido pela mulher) durante o trabalho de parto, muito pelo contrário. O pai muitas vezes não sabe bem como se comportar naquele momento. Não sabe exatamente o que está acontecendo, preocupa-se com a mulher, acaba esquecendo de si próprio. Não sabe necessariamente que tipo de carinho ou massagem a mulher está precisando nessa ou naquela fase do trabalho de parto. Eventualmente o pai sente-se embaraçado ao demonstrar suas emoções, com medo que isso atrapalhe sua companheira. A doula vai ajudá-lo a confortar a mulher, vai mostrar os melhores pontos de massagem, vai sugerir formas de prestar apoio à mulher na hora da expulsão, já que muitas posições ficam mais confortáveis se houver um suporte físico.



O que a doula não faz?



A doula não executa qualquer procedimento médico, não faz exames, não cuida da saúde do recém-nascido. Ela não substitui qualquer dos profissionais tradicionalmente envolvidos na assistência ao parto. Também
não é sua função discutir procedimentos com a equipe ou questionar decisões.

Vantagens

As pesquisas têm mostrado que a atuação da doula no parto pode:
diminuir em 50% as taxas de cesárea;
diminuir em 20% a duração do trabalho de parto;
diminuir em 60% os pedidos de anestesia;
diminuir em 40% o uso da ocitocina;
diminuir em 40% o uso de fórceps.

*Texto retirado do site Doulas